terça-feira, 3 de março de 2015

Cabra

Apesar de não me ter sido concedido o dom de parir filhos anjos, não tenho tido grandes razões de queixa, dessa ingrata que me entrou pela porta dentro, sem aviso prévio, essa cabra: adolescência. Não. Não tenho tido grandes razões de queixa, a comparar com o que vejo em portas alheias. O miúdo, caminha devagar para aquela  adolescência temida, uma resposta sempre pronta, uma ou mais reclamações por dia, a constatação quase diária desta vida injusta.

A miúda, muito mais calma, muito mais pacata, ela sim, a caminhar com passos largos nessa cabra adolescência, pura e dura, salvo numa ou noutra situação, é uma paz d'alma. Mas temo. Temo veementemente que esta acalmia tenha os dias contados. E dei por mim a proferir a frase, outrora deveras utilizada pela minha mãe, coitada, também ela tão fustigada por essa cabra adolescência. "a escola onde tu andas, já eu lá fui professora".

Agora sim, tenho a certeza que terei de ver as cinquentas sombras. Pelo menos, terei a certeza do que ela verá. Sim, porque ter sido apanhada, ela e as suas comparsas, de bilhetes já comprados para o dito filme, depois de lhes ter sido negado tal pedido, e de verem os bilhetes trocados por uma comédia sem o conteúdo apetecível, tenho a certeza de que a curiosidade ficou mais aguçada ainda. E a escola onde ela andou, já eu fui professora. E ainda me parece que foi ontem.
Bolas para a adolescência. Essa cabra. Essa puta.

24 comentários:

  1. Receios que por aqui habitam também, há que deixar rolar e esperar que role para o lado certo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, e ajudar que role para o lado certo. ou pelo menos, tentar...,

      Eliminar
  2. Cá abracinho e tem lá calma. É um tempo maravilhoso. Para eles...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A seu tempo, também te darei o ombro! E te recordarei o tempo maravilhoso, para eles! ;) é tão, tão rápido... Beijos!

      Eliminar
    2. ahahahahahahahah isto é giro nos outros, quando me tocar a mim mãe é que vai ser, ui ui.

      Bjos Rainha

      Eliminar
  3. Ahahaha! Eu fui uma adolescente muito certinha, realmente. Nunca tive coragem para fazer grandes loucuras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. bem, também espero não me deparar com grandes loucuras... a avaliar pelo que ouço, esta, foi uma pequena loucura... ;)

      Eliminar
  4. Do filme, nada a recear, dizem que se vê coisa "pior" ao domingo à tarde.
    Vai correr bem. (O tempo não pára, mais vale sorrir com eles :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mim o que me chateia, não são as cenas de sexo em si. Mas a humilhação feminina, entre outras coisas, que não sei se ela terá maturidade para avaliar...

      Eliminar
  5. Aqui estou Rainha para fazer o relatório devido e prometido em relação ao filme do "demo"!
    Pois bem, o filme não tem nem metade daquilo que é descrito nos livros, para ser sincera, diria que deixava a miúda ir ver o filme, mas NÃO deixava de TODO ela ler os livros até completar 18 anos e um dia, (pelo menos).
    O filme tem sim cenas de sexo, mas não são explicitas, não mostram a nudez no seu todo, os actores têem sempre uma perna ali, um braço acolá, para esconder o que seria considerado desavergonhado.
    Portanto Rainha, sejamos realista, com quase 16 anos já sabíamos o que era sexo e o filme não lhe vai ensinar nada que ela não saiba! (acho eu), mas acho muito ajuizado a Rainha acompanhar na ida cinematográfica.
    Aguardo relato da sessão das pipocas ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Nina! Não vou ver o filme com ela... Mas na verdade, sei que com dezasseis anos ela sabe o que é sexo, o que me preocupa é a maturidade suficiente para perceber outras vertentes do filme. Mas só poderei opinar, depois de o ver! Um beijinho e obrigada!

      Eliminar
  6. Diz-te quem sabe que a adolescência dos filhos é tão tranquila como tranquila foi a infância ;)
    Nada temas.
    Quanto ao filme, cada mãe sua cabeça e seu coração :)
    Não soubeste escolher o melhor leite, a melhor papa, a melhor escola? Agora também saberás o que fazer.
    Beijinhos, majestade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A voz da sabedoria, no seu melhor! Tens razão. Um grande beijo! (quanto ao melhor leite, olha, foi um desastre! a raio da lactose a fervilhar na intestinaria da criança, e havia intolerância à mesma!)

      Eliminar
  7. "a escola onde tu andas, já eu lá fui professora", é muito bom! Coragem, Rainha!

    ResponderEliminar
  8. Ás vezes também me enervo mas no fundo, no fundo, é uma fase de descoberta muito engraçada e nós também já por lá passamos. Deixa rolar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é verdade, mas custa muito mais quando somos nós "os pais"...

      Eliminar
  9. Faço parte desse clube e à minha nem tive como evitar de ver o tal filme. Numa festa pijama, viram-no através da internet, confessou-me ela, e que o achou nojento e a história sem graça. Violência contra a mulher, foi a lição que tirou! Há coisas, que não dão, em época alguma, para controlar a 100%.
    Temos de apostar nos exemplos e no diálogo aberto. Concordo com a Nina que o livro é bem pior, e esse, sei que não o lerá, visto não ter apreciado o filme!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a questão é mesmo essa. A maturidade que já têm ou não, para encarar essa "violência contra a mulher" , não encarando isso como algo natural...

      Eliminar
    2. É uma idade em que o "certo e errado" ainda tem alicerces bem sólidos nos princípios do início da vida. Por isso é normal que, ao ver uma mulher receber uma estalada ou ser atirada com força contra uma parede, seja interpretado como algo mau. É o lado inocente que faz a interpretação ao invés do libidinoso... ainda em desenvolvimento e inexperiente. O pior é se a curiosidade é maior que essa noção mas dificilmente, quando ainda se é tão inocente, se sente outra coisa diante de violencia

      Eliminar
  10. a adolescência não tem de ser necessariamente má... são fases, lembra-te que tudo passa =)

    ResponderEliminar
  11. Também sou membro desse clube há já alguns anos.também já fui lá professora, ainda assim, encanitam-me certas coisas. Mas passa, dizem que passa. Coragem para nós. Beijinho

    ResponderEliminar
  12. A internet disponibiliza de tudo, com mais rapidez. Às vezes mesmo antes das salas de cinema. Por isso...

    ResponderEliminar